Sentiu a lâmina rasgar a carne. Escorreu o líquido vermelho viscoso. Decidiu deixar a barba crescer.

3 comentários:

Maíra Souza disse...

Oi!
Gostei do miniconto. Me lembrou alguns da Marina Colasanti, conhece?
Com finais inusitados/inesperados. =)
T+

Elisandra disse...

Se nao tivesse a ultima frase eu iria pensar que era um assassinato..rsrsrs

mural do ajosan disse...

Eu também achei o mesmo que a Elisandra. Se não fosse a última frase pensaria que era um assassinato; ótimo, às dos micro-contos; você realmente é muito bom; desejo-lhe muito sucesso.

Postar um comentário