Sempre quisera ser uma mulher de parar o trânsito. Sentiu-se nas nuvens no dia em que a atropelaram.

4 comentários:

Fábrica dos Convites disse...

Credo, isso foi cruel! Bjs, Rose:D

mural do ajosan disse...

Infelizmente não há palavras diferentes para elogiar tais nanocontos; cada dia você se supera, Edson; esta de hoje foi demais; 10!!!

Beta disse...

hahahaha
Adorei!!!
Agora vc me fez lembrar do conto A cartomante de Machado de Assis.

Muito bom!!

bjkas

Maeh Fedewicz disse...

HAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAHHAHHHAHHAHA

Postar um comentário