Orgulhosa de sua profissão, quis ser enterrada de uniforme. Bem polêmico o velório daquela stripper.

10 comentários:

Davi Reis disse...

hahaha Adorei esse!

Fátima Ricci disse...

Uau... surpreendente!!! Parabéns...
E não deu mesmo pra incluir o 2o. "p" de stripper, né? Não coube, definitivamente. Mas continuou genial.

Anônimo disse...

Que uniforme?...

Debby Lenon disse...

Hehe ainda bem que as flores cobrem uma boa parte do corpo.
Debby Lenon

Fátima Ricci disse...

E não é que coube? Nada como um escritor competente e criativo... :)

João Áquila Lima dos Santos disse...

imgine como seria o velório de um político exigindo seu uniforme por trás dos ternos...

adelarsantos disse...

Hum.... certamente ha de ser um belo uniforme...Hehehehe

Jocir Prandi disse...

Por que será que este nanoconto foi tão comentado? Hehehe!
Ótimo!

Ana de Geo disse...

Oi. Estou recebendo seus nanocontos por e-mail e nem sempre dá para vir comentar, mas estou gostando. Um forte abraço.

mural do ajosan disse...

Ótimo, muito bom; digno de quem sabe escrever nanocontos.

Postar um comentário